Terminou este sábado a formação sobre “Redução de risco de desastre” em São Nicolau

Escrito por Editor JSN . Publicado em São Nicolau

Quarenta jovens de São Nicolau terminaram este fim-de-semana uma formação sobre “Redução de risco de desastre”. Os formandos estão minimamente preparados para agir em caso de catástrofe

 

 

A iniciativa foi da Cruz Vermelha de Cabo Verde, e a formação decorreu durante três dias no Tarrafal de São Nicolau, ministrada pela técnica Glória Santos.


Segundo o presidente do Conselho local da Cruz Vermelha, Cláudio Silva a formação decorreu de forma normal, “apesar de um dia de atraso devido a chuva, a formação decorreu de forma tranquila e de uma forma geral conseguimos terminar a formação com sucesso”.


Cerca de 40 agentes nacionais, nomeadamente proteção civil, bombeiros, forças armadas, polícia nacional e dos próprios agentes municipais, participaram dessa formação, onde tiveram a oportunidade de aprender a diferenciar o que é considerado ameaça, risco e também situação de vulnerabilidade de determinadas localidades e da sociedade em si, ou seja “já conseguem distinguir o que é risco, o que são ameaças e trabalhar a parte da sensibilização com mudanças de mentalidade e comportamento em prol de maior segurança das pessoas, que era o grande objetivo”.


Durante essa acão de formação, os formandos tiveram a parte teórica e também uma parte prática e segundo o responsável estão minimamente preparados para dar respostas a situações de desastres. “No final os participantes foram divididos em vários grupos, onde foram no terreno detetar os riscos e ameaças e elaboraram um trabalho que foi apresentado durante a formação”, explica.


Cláudio Silva avança que diversos lugares precisam de intervenção rápida, nomeadamente alguns construções nas ribeiras, depósitos de água a céu aberto, depósito de combustíveis no meio de casas.


No entanto segundo este responsável o trabalho começa por sensibilizar a comunidade, principalmente sobre os riscos que provavelmente podem correr e tentar mudar o comportamento das pessoas.


Isto porque no entender de Cláudio Silva por falta de recursos que temos em Cabo Verde temos que agir na prevenção, “os recursos são insuficientes por isso agimos na prevenção, em vez de deixar acontecer desastres tentamos evita-los”.


A formação é contínua e nesta fase abrange a ilha de São Nicolau e, posteriormente, a Cidade da Praia, onde a ação está a ser preparada para os próximos dias com a participação de cerca de 50 agentes, perfazendo, nesta fase, um total de 90 formandos em áreas de catástrofes.

 

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)