Liceu Pedro Corsino de Azevedo arranca o ano letivo com nova direção

Escrito por Editor JSN . Publicado em São Nicolau

O liceu Pedro Corsino de Azevedo (PCA), no Tarrafal de São Nicolau, é constituído por um novo corpo diretivo para o ano letivo 2016/2017. Sara Brito, que assume o cargo de diretora deste estabelecimento de ensino secundário público, garante que a nova equipa vai trabalhar para diminuir cada vez mais a taxa de abandono e a taxa de reprovação no município

 


O Conselho diretivo é formado pela nova diretora da Escola, Sara Brito, sub-diretor pedagógico - José Vicente, assuntos financeiros - Francisca Pinto, assuntos sociais - Dinora Soares e como secretário da escola o professor Fernando.


Sara Brito, recentemente nomeada para o cargo de diretora do PCA avança ao JSN, que está tudo preparado para o início do ano letivo 2016/2017, agendado para esta quarta-feira, 21, “o que vamos precisar já está preparado que são as salas de aula e espaço de recreio”.


A nova diretora do PCA, informa que neste ano letivo o estabelecimento terá a volta de quinhentos e poucos alunos. “A escola mantém o número a volta dos 500 e poucos alunos. Até este momento não temos um número exato porque infelizmente os pais estão a demorar em proceder a realização das matrículas”, explica.


Sara Brito que é licenciada em Línguas literatura e cultura e com vasta experiência no ensino, revela que a nova equipa diretiva do PCA vai trabalhar no mesmo sentido que os anos anteriores, no entanto vão reforçar a ideia de diminuir cada vez mais a taxa de abandono e a taxa de reprovação, mantendo os alunos na escola o máximo de tempo possível.


Quanto aos professores, Brito afirma que já estão prontos com amor ao ensino e educação para fazer o seu trabalho com dedicação. A escola dispõe de 38 docentes incluindo o corpo diretivo.


Questionada se a escola precisa de mais professores, Sara Brito diz que em princípio não há necessidade de mais professores, “porque teríamos que ter mais um professor de física, já temos, e professores de educação física que é um problema nacional, mas a escola tem vindo a colmatar essa lacuna com os professores que já temos.


Segundo esta responsável, quando os alunos vão para o liceu, os pais acabam por deixar de acompanha-los, por isso apela aos pais e encarregados de educação para acompanharem os seus filhos e para aparecerem nas reuniões durante todo o ano letivo, não deixando somente para o final do ano para saber se os educando transitaram de classe ou não.


Em jeito de conclusão, Sara Brito afirma que o liceu está de braços aberto para acolher os alunos e trabalharem juntos para que todos tenham bons resultados no final do ano letivo.


É de realçar que depois do empossamento do novo elenco governamental cabo-verdiano, o Ministério da Educação fez mexidas nas direções de várias Escolas de Ensino Básico e Secundário, um pouco por todo o país.

 

AC

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)