Plano de eliminação dos mil-pés em São Nicolau está a decorrer "muito bem" - ministro Gilberto Silva

Escrito por Editor JSN . Publicado em São Nicolau

O plano operacional para a eliminação do foco da praga dos mil-pés surgido na ilha de São Nicolau está a decorrer “muito bem”, mas ainda não se pode declarar que a batalha neste domínio já está ganha

 


O ministro da Agricultura e Ambiente disse em declarações á Inforpress que o seu departamento governamental pôs em marcha uma campanha de “sensibilização” junto às populações de São Nicolau, explicando a “problemática” dos mil-pés e seu efeito nefasto para a economia da ilha, assim como o perigo adveniente da propagação desta praga.


“Conversámos bastante sobre as medidas que o Ministério está a tomar para a eliminação do foco”, garantiu Gilberto Silva, referindo-se aos contatos com as pessoas sobre os mil-pés, assim como a sua participação na eliminação da citada praga.


Nas zonas mais atingidas, os técnicos tiveram que fazer “contatos porta-a-porta” para a explicar às pessoas sobre os malefícios dos mil-pés na agricultura, que constitui uma das mais importantes atividades económicas da ilha do Chiquinho, informa a mesma fonte.


Uma das medidas adotadas foi a queima de todo material vegetal que se encontrava nas propriedades afetadas.
Por outro lado, segundo Gilberto Silva, foi “reforçada a inspeção” no porto e no aeródromo de Preguiça, a fim de se controlar a saída e entrada na ilha de produtos, sem, contudo, pôr São Nicolau num estado de “completa quarentena”.


“Esta medida só está a funcionar em relação à área efetivamente afetada”, alegou o governante, numa referência à localidade de Lompelado, onde se identificaram focos dos mil-pés, cujos alguns exemplares foram encontrados no interior das habitações, escreve á Inforpress.


Esta praga, conforme os técnicos, têm o hábito de se deslocar à noite e reproduzem com maior facilidade em zonas húmidas.


Segundo o ministro, os técnicos do seu Ministério identificaram a utilização das “águas cinzentas” das casas na agricultura onde foram detectados “muitos exemplares dos mil pés”.


“O Ministério promoveu a canalização de todas aquelas águas cinzentas das casas”, afirmou o governante, acrescentando que, além desta medida, foram também utilizados produtos agrotóxicos para se definir uma “fronteira muito clara entre o terreno afetado e o não afetado”.


Instado se os mil-pés estão confinados à localidade de Lompelado, Gilberto Silva afiançou que até ao momento se pode garantir que, praticamente, não estão a ser encontrados novos exemplares adultos, mas, prossegue, “é fundamental manter a quarentena no local”.


Cabo Verde aproxima-se da época das chuvas e, durante este período, as condições são “propícias para a propagação da praga” e, por isso, de acordo com o ministro, se deve agir “o mais rapidamente possível” em ordem a eliminar todas as possibilidades de disseminação da praga dos mil-pés.


No concernente ao ressarcimento aos proprietários que viram as suas culturas destruídas, o ministro declarou que, durante o período de quarentena, vão ser avaliados os prejuízos, para que os prejudicados sejam compensados.


As primeiras investigações do Ministério de Agricultura e Ambiente e Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento Agrário indicam que a propagação dos mil-pés em São Nicolau começou há um ano.


Recorde-se que a praga de “mil-pés” foi descoberta em Santo Antão, nos anos 80, atacando, sobretudo, produtos hortícolas, com maior incidência na cultura da batata comum.

 

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)