Electra vai construir um parque eólico em São Nicolau

Escrito por Editor JSN . Publicado em São Nicolau

Alexandre Fontes, presidente do conselho de administração da Electra, disse hoje que a Electra pretende construir um parque eólico para fornecimento de energia eólica na ilha de Chiquinho

 


Discursando no ato inaugural da central única de São Nicolau, o PCA da Electra disse que com o aumento da capacidade de electricidade, maior qualidade de serviço e a procura de uma melhor saúde financeira da empresa, a Electra passa obrigatoriamente pela introdução das energias renováveis.

Por isso a Electra já tem um projeto para São Nicolau para o ano em curso que é a construção de uma central solar que poderá produzir numa primeira fase até 50% da energia consumida pela Electra.

Alexandre Fontes aproveitou a oportunidade para apelar para construção de uma estrada de acesso a central única que fica em Cacimba. “Gostaria em nome do CA da Electra solicitar a construção de uma estrada, como vimos essa infra-estrutura está em risco, principalmente na época das chuvas onde há impossibilidade de transporte de combustível e também de funcionários, sublinhou.

Na sua intervenção, o edil do Tarrafal José Freitas de Brito apelou igualmente para construção da estrada de Cacimba, “ a infra-estrutura está bem localizado e com todo o investimento que foi feito, é necessário ter-mos aqui uma estrada”. O autarca avançou que a câmara Municipal sozinha não vai conseguir fazer uma estrada, por isso pediu a intervenção do governo para uma intervenção urgente no sentido de apoiar na construção da estrada.

José Freitas de Brito augurou a infraestrutura, desejamos boa sorte a Electra e aos trabalhadores que agora tem melhores condições de trabalho.

A Central Única de São Nicolau foi construída de raiz, em Cacimba, na cidade do Tarrafal, no quadro do projeto de reforço dos sistemas de produção, do transporte e distribuição de energia, e está equipada com novos equipamentos geradores de energia eléctrica.

Foram instalados dois novos grupos electrogéneos de 1000 kW, cada. A esta potência acresce-se 1500kW de outros três grupos electrogéneos que estavam em funcionamento, na cidade do Tarrafal, totalizando uma potência de 3500 kW. A rede de distribuição foi também ampliada e reforçada levando a electricidade a novas localidades.

O projeto custou do Governo cerca de 365 mil contos e contou com financiamento da OFID, ORET e BIDC.

 

AC

 

 

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)