População do Tarrafal exige regresso do Liberdadi

Escrito por Editor JSN . Publicado em São Nicolau

Desde o passado dia 2 que não há ligações marítimas com São Nicolau. O Liberdadi foi transferido para a região Fogo/Brava e São Nicolau ficou descoberto

 

 

Um grupo de pessoas exigiu esta sexta-feira, 10 de abril, o regresso do catamaran Liberdadi para a região norte do país, alegando que a retirada da embarcação veio colocar a ilha de São Nicolau numa situação de isolamento.


A manifestação ocorreu às portas do porto do Tarrafal, momentos após o Liberdadi ter atracado, proveniente da Cidade da Praia.


As pessoas que empunhavam cartazes com algumas palavras de ordem dizem que a ilha está a ser prejudicada com a retirada do navio.
Desde o passado dia 2 que não há ligações marítimas com São Nicolau. O Liberdadi foi transferido para a região Fogo/Brava e São Nicolau ficou descoberto. Não há também ligações com o Sal já que o Ribeira de Paúl está em reparação.


A CV Fast Ferry transferiu na semana passada o Liberdadi para a região sul, e fez saber que o Kriola viria ocupar da rota, mas tal ainda não aconteceu.


Esta semana, o presidente da Câmara do Tarrafal, José Freitas de Brito exigiu do governo “máxima urgência” na resolução do problema de transportes e defendeu que São Nicolau também faz parte de Cabo Verde.


A ausência de barcos nesta rota está a criar vários constrangimentos nas pessoas. Alunos que vieram de São Vicente para as férias de páscoa e que devem retomar as aulas na segunda-feira não vão poder regressar como previsto. Idem para as pessoas que saíram do Tarrafal na última viagem do Liberdadi e que viajaram com bilhete de ida e volta.


Contactado, a administração da CV Fast Ferry não presta declarações e nem adianta a possível data para resolução do problema.


AC

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)