Primeiro Ministro considera unidade dessalinizadora de Preguiça como uma infra-estrutura embllemática e de referência

Escrito por Editor JSN . Publicado em São Nicolau

A unidade dessalinizadora de Preguiça, em São Nicolau, com capacidade para produzir 1.200 metros de cúbicos de água por dia, foi inaugurada este domingo, 22, pelo Primeiro-ministro, José Maria Neves

 


O primeiro - ministro, José Maria Neves considera a obra como uma infra-estrutura emblemática e de referência para São Nicolau e para Cabo Verde, dada sua importância para o abastecimento de rede pública, no município da Ribeira Brava.

O chefe do governo enalteceu a iniciativa da edilidade, referindo-o como exemplo na mobilização de recursos e parcerias com organizações internacionais, visto que é a primeira autarquia a nível nacional a mobilizar meios e parceiros para a dessalinização da água para o consumo, sem transferir a responsabilidade para o poder central.

Américo Nascimento, autarca da Ribeira Brava adianta que a inauguração da obra é realização de um sonho que vai permitir os munícipes ter mais água tanto para consumo bem como para rega.

No entanto o presidente da CMRB adianta que o objetivo agora é trabalhar para cobrir o concelho com a taxa de ligação de água ao domicílio a 100 % até 2016, uma vez que a taxa atual é de 90%. E também mobilizar recursos para produção de água dessalinizada com base na energia renovável uma vez que através de energia convencional é muito caro.

A dessalinizadora de A inauguração da dessalinizadora foi presidida pelo primeiro-ministro, José Maria Neves, na presença do ministro do Ambiente, Habitação e Ordenamento do Território, Antero Veiga, da coordenadora do Sistema das Nações Unidas em Cabo Verde Ulrika Richardson-Golinski, do embaixador do Brasil em Cabo Verde, João Inácio Padilha, entre outros convidados.

De referir que a dessalinizadora da Preguiça já esta funcional a três meses, com com capacidade para a produção de mil e duzentos metros cúbicos de água por dia. A sua construção iniciou em outubro de 2010 e custou 200 mil contos, financiado pelas Nações Unidas – Fundo IBSA – do Governo por intermédio do Ministério do Ambiente e da Câmara Municipal.

 

 

 

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)