Escolas de São Nicolau capacitadas para apoiar jovens na orientação vocacional

Escrito por Editor JSN . Publicado em São Nicolau

As Escolas da ilha de São Nicolau estão capacitadas para orientar os jovens nas suas decisões profissionais futuras. A técnica da DNE defende que com as exigências da sociedade e o mundo globalizado surge a necessidade de cada vez mais cedo preparar os jovens para a vida

 

A ação de formação foi promovida pela coordenação do Ministério de Educação e Desporto do concelho do Tarrafal de São Nicolau.

Durante quatro dias os Subdiretores Pedagógicos e de Assuntos Sociais, Coordenadores Pedagógicos, Gestores/Diretores das Escolas, Psicólogos(as), professores das disciplinas de Sociologia e FPS dos Municípios do Tarrafal e de Ribeira Brava, participaram do curso básico de orientação Escolar vocacional e profissional (OEVP).

De acordo com Suzana Delgado, técnica da direção nacional de educação o objetivo é apoiar cada vez mais cedo os alunos na sua orientação profissional para as suas escolhas futuras, "fazer com que os alunos cada vez mais cedo tenham a possibilidade de traçar os seus projetos de vida".

Suzana Delgado defende que apartir do momento que os jovens identificam com um projeto de vida, tem mais interesse em estudar e traçar metas para o futuro, e para isso os professores tem que estar minimamente preparados para apoia-los.

"Com as exigências da sociedade e o mundo globalizado surge a necessidade de cada vez mais cedo preparar os jovens para a vida, para que no momento exato haja condições de fazer uma escolha adequada com os seus objetivos e interesses", explica.

A técnica da DNE acredita que os objetivos foram compridos e que neste momento a orientação vocacional está melhor, "quase todas as escolas já tem os seus núcleos de orientação profissional, mas o objetivo do ministério da educação é fazer com que todas as escolas tenham um nucleo que funcione ativamente de forma a dar resposta as necessidades dos jovens".

Em entrevista ao JSN Suzana Delgado adianta que atualmente estão a previligiar jovens do 8º, 10º e 12º anos que realmente tem escolhas importantes a fazer. Sendo que a maior dificuldade recai sobre os alunos do 12º ano, "muitos deixam para decidir quando estão a preencher os documentos de bolsa ou de matricula nas universidades", e muitas vezes já sendo tardia "o orientador não consegue ajudar muito".

A formação durou 4 dias com o total de 32 horas e contou com a participação de 24 pessoas. O evento foi financiado pela carta da politica integrada, formação e emprego e do Governo.

As ações de formação estão a ser ministradas em todo o país e o próximo a ser comtemplado é a ilha do Fogo.

 

 

 AC

 

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)