São Nicolau: Presidente em diálogo com as pessoas em Hortelã sobre o mau ano agrícola

Escrito por Editor JSN . Publicado em São Nicolau

 

José Freitas de Brito foi à comunidade de Hortelã ouvir de viva voz a população local sobre os efeitos do mau ano agrícola e apelou a um envolvimento de todos para, juntos, debelar os constrangimentos desse fenómeno

 


O Edil do Tarrafal está a promover um conjunto de audiências nas comunidades, com objetivo de dialogar com as pessoas e sentir os efeitos da crise provocada pela ausência de chuva, uma situação que está a deixar descrentes os homens do campo e criadores de gado.


Num encontro na escola local, e na presença de cerca de 30 membros da comunidade – jovens e adultos, a maior parte mulheres chefes de família, o Presidente José Freitas de Brito registou queixumes das gentes que dependem, sobretudo, da terra.


A falta de chuva na última estação não permitiu resultados na sementeira feita, situação agravada numa comunidade que depende quase que exclusivamente do campo e da criação de gado. Em consequência, não há emprego, escasseiam-se os postos de trabalho e a população diz caminhar para uma situação insustentável.


José Freitas de Brito considerou, que não se pode cruzar os braços e render-se diante dos sucessivos problemas. O Edil advogou que é chegada a hora de um maior envolvimento de todos, deixando de lado as quezílias político-partidárias, para juntos, Câmara, Governo, as comunidades locais e os vários parceiros do desenvolvimento, trabalharem para a resolução dos problemas. “É fundamental haver a solidariedade de todos e consideramos que os agricultores devem unir para, juntos, exigirmos uma maior presença, por exemplo, do MDR no Município, de forma a que todos possam ter acesso aos meios disponíveis”.


“Este é o momento ideal para unirmos” sublinhou, garantindo que a sua Administração “está atenta” aos sinais que vai chegando dos vários lados.


O Presidente mostrou-se particularmente preocupado com o facto de o desemprego nesta comunidade de Hortelã afetar, sobretudo, mulheres, que ao mesmo tempo são chefes de família. “É uma situação delicada” reconheceu, reiterando que a Câmara Municipal está a trabalhar com pensamento focalizado nestas pessoas. “Trabalhamos a pensar em todos os Cidadãos mas temos presente as situações das mulheres chefes de família”, comentou, assegurando por outro lado que a nível social há critérios de apoios definidos, de forma a que os mais necessitados sejam os primeiros contemplados.


A agenda desta Presidência Aberta prossegue nesta quarta-feira, 26, com encontros idênticos em Palhal (15 horas), Caldeira (16 horas) e Cabeçalinho (17 horas), e na quinta-feira, 27, serão contempladas as zonas de Fragata (14 horas), Ribeira Prata (16h30) e Praia Branca (18h15).

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)