A MANDO DA MINISTRA: Segurança Interna está a averiguar caso de policial que invadiu escola no Tarrafal

. Publicado em São Nicolau

A informação veio diretamente do gabinete de Marisa Morais. Mas, no Tarrafal, o desagrado pela atuação do agente continua a ser motivo das conversas de rua, tendo levado mesmo o Presidente da Câmara a reunir-se com o Chefe de Esquadra local – uma conversa cujo conteúdo foi mantido em segredo


 

A ministra da Administração Interna, Marisa Morais, mandou que a Inspeção Geral de Segurança Interna (IGSI) averigúe o caso do agente da Polícia Nacional da Esquadra do Tarrafal que, no último sábado, invadiu as instalações da Escola Secundária Pedro Corsino de Azevedo e se travou de razões com uma aluna menor, a quem acusava de lhe ter subtraído a arma de serviço.

O JSN tem tentado, desde a tarde de ontem, chegar à fala com a ministra, o que chegou a ser admitido como possibilidade pela sua assessora de imprensa. Porém, instantes atrás (e alegando “motivos de agenda”), Marisa Morais (através da sua assessora) escusou-se a dar uma breve entrevista ao nosso jornal, alegando que “não há nada, para já, a acrescentar ao que já foi dito: imediatamente após conhecimento do sucedido foi ordenada a averiguação por parte da IGSI que está em curso”.

Embora compreendendo a posição da ministra da Administração Interna que, naturalmente, não se iria pronunciar sobre uma averiguação que “está em curso”, JSN considera ser útil que Marisa Morais esclareça as razões que subjazem à política de transferências do Comando da PN do Sal (que superintende São Nicolau), teimando em transferir para o Tarrafal agentes prevaricadores e transformando uma terra pacífica num polo de instabilidade.

Aliás, as preocupações da população por razão dos incidentes provocados por alguns agentes da autoridade levou o edil local, José Freitas de Brito, a encontrar-se na tarde de ontem com o Chefe de Esquadra local, José Carlos Tavares, a quem manifestou solidariedade e encorajando-o a lutar contra situações como a ocorrida no último sábado, mas mantendo em segredo o conteúdo da conversa.

Por enquanto, a insatisfação da população está direcionada para a atuação perniciosa de alguns agentes, mas, a não serem tomadas medidas, essa insatisfação poderá direcionar-se para a própria Polícia Nacional, enquanto instituição, o que seria muito grave para a autoridade do Estado e para a segurança e estabilidade do Tarrafal.

 

Confira todas as notícias relacionadas com este caso

ÚLTIMA HORA: Polícia invade escola do Tarrafal para recuperar arma de serviço a “amante” menor

TARRAFAL: Escola Secundária apresenta queixa contra agente que invadiu instalações

TARRAFAL: Arma de serviço do agente que invadiu escola secundária encontrada junto a “boca” de tráfico

TARRAFAL: Chefia local da Polícia quer “limpar a casa”

TARRAFAL: Edil preocupado com invasão de escola por policial

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)