FORMAÇÃO PROFISSIONAL: Centro de Emprego do Sal socializa projetos em São Nicolau

. Publicado em São Nicolau

Cursos de formação - destinados a jovens entre os 18 e os 30 anos - nas áreas de transformação de produtos agro-alimentares e de pescado, manutenção de equipamentos de frio e cozinha foram apresentados aos saniculaenses. Os formandos poderão ainda ter acesso a uma linha de crédito até 500 contos para a implementação de projetos de negócio


 

O Centro de Emprego do Sal promoveu segunda e terça-feira ações de socialização de projetos na Ribeira Brava e Tarrafal (na foto), Ana Carvalho, coordenadora daquela instituição e Isabel Correia, presidente do Concelho de Administração do Fundo de Promoção do Emprego e da Formação (FPEF) estão em São Nicolau para apresentar quatro cursos de formação profissional.

Técnicas de transformação de produtos agro-alimentares, Técnicas de transformação e conservação de pescado, Manutenção de equipamentos de refrigeração e Cozinha básica, são os cursos disponíveis apresentados aos saniculaenses da  faixa etária entre os 18 e os 30 anos.

Decorrente da saída gradual das cooperações internacionais, desde há uns tempos a esta parte os cursos de formação são pagos pelos alunos, uma medida que, embora se traduza na redução do número de participantes, veio aumentar a qualidade dos formandos. Quem paga, em princípio, é porque está interessado, e isso tem vindo a refletir-se no mercado de trabalho, com uma leva de novos profissionais mais capacitados.

O custo de cada curso varia entre os cinco e os dez mil escudos mensais. Com inscrições já abertas, mas sem um prazo de encerramento, os cursos, em princípio, iniciar-se-ão em novembro e contemplam um período se formação entre os dois e os quatro meses.  

Garantido acesso a financiamento

No pós-curso, os formandos poderão ainda ter acesso a planos de financiamento até 500 contos (o valor máximo de cada projeto), bastando para tal submeter os seus projetos de negócio ao FPEF, com acesso a uma linha de crédito do Novo Banco.

Do valor de financiamento, ao candidato cumpre garantir vinte por cento (%), sendo o restante disponibilizado pelo banco. E o FPEF garante o pagamento integral dos juros, decorrente do financiamento do Estado, através de 10 % da Taxa de Turismo.

A candidatura implica a abertura de conta no Novo Banco que, no caso de São Nicolau (onde não existe de nenhuma agência), é representado pelos Correios, acionista desta instituição bancária. Em matéria de consultoria para a elaboração dos estudos de viabilidade económica, os candidatos podem contar com o apoio Agência para o Desenvolvimento Empresarial e Inovação (ADEI), que disponibiliza um técnico habilitado. 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)