RIBEIRA BRAVA: “Meca” quer Fajã e Juncalinho com categoria de vila

. Publicado em São Nicolau

O edil pretende levar a proposta à próxima Assembleia Municipal. E o deputado do MpD eleito por São Nicolau, Nelson Brito, reitera o apoio à proposta, mas diz que é necessário implementar projetos de desenvolvimento para as localidades, nomeadamente, em matéria de criação de emprego e de combate à pobreza, caso contrário a elevação a vila de nada serve


 

O presidente da Câmara Municipal da Ribeira Brava, Américo Nascimento (“Meca”), quer elevar Fajã (na foto) e Juncalinho à categoria de vila. O edil pretende levar a proposta à próxima sessão da Assembleia Municipal que se realiza antes do final deste mês.

Segundo “Meca”, a divisão da ilha de São Nicolau em dois municípios e a elevação da Ribeira Brava e do Tarrafal a cidades deixou um vazio administrativo no que respeita a vilas, pelo que “o objetivo é elevar alguns povoados da Ribeira Brava à categoria de vila (…), dentro da política do ordenamento territorial do município", sublinha o autarca.

Dentro dessa estratégia, foram já realizados encontros com as populações da Fajã e Juncalinho que têm, respetivamente, mais de mil e à volta de quinhentos residentes.

Depois de as propostas serem aprovadas em Assembleia Municipal, a edilidade irá submetê-las ao governo, nomeadamente, ao Ministério do Ambiente, Habitação e Ordenamento do Território. Tendo o aval da tutela, a elevação das localidades a vila terá de ser, no entanto, acompanhada de medidas para potenciar o seu desenvolvimento, nomeadamente, em matéria de equipamentos sociais e a instalação de serviços municipais e centrais, já que apenas a Fajã dispõe de uma delegação municipal.

MpD disponível para apoiar proposta

A oposição (MpD) está disponível para aprovar esta proposta em sede da Assembleia Municipal, conforme disse ao JSN o deputado ventoinha eleito por São Nicolau. “Naturalmente que estamos disponíveis para juntar o nosso voto ao da maioria”, sublinha Nelson Brito que, no entanto, faz questão de referir ser essa “um ideia antiga que, por várias vezes, foi avançada por Américo Nascimento e que, pese embora a maioria que dispõe no município e o facto de o PAICV ser governo há quase uma década e meia, nunca passou das intenções”. O parlamentar considera haver alguma “demagogia no ressurgir da ideia, pois o edil nunca manifestou, na prática, vontade de a implementar e sempre tem abandonado a Fajã, como é exemplo a não conclusão da obra do Mercado Municipal, que Américo Nascimento tem vindo sempre a adiar”, acentua Nelson Brito.

“Estas propostas não podem ser reduzidas ao plano teórico e devem ser concretizadas com projetos claros de desenvolvimento das localidades e da melhoria das condições de vida das populações”, diz ainda o deputado, acrescentando que “a elevação a vila não serve de nada, por exemplo, se não houver um plano claro de combate ao desemprego e à pobreza, nomeadamente, em matéria de progresso da agricultura na Fajã e de acesso de Juncalinho à energia elétrica 24 horas por dia, e da implementação de projetos sociais” que beneficiem as populações.

com A Semana

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)