ÉPOCA DAS CHUVAS: Boas perspetivas para o ano agrícola em São Nicolau

. Publicado em São Nicolau

Apesar do atraso no início das chuvas, a pluviosidade que se fez sentir ontem nas terras altas do Vale de Fajã pode ser um bom prenúncio de que este ano poderá ver invertida a tendência negativa dos últimos cinco anos. Boas “azáguas” e boas colheitas fazem parte das previsões de agricultores e de técnicos


 

Pese embora o atraso do início da época das chuvas, técnicos do Ministério do Desenvolvimento Rural (MDR) prevêem um bom ano agrícola, uma avaliação que é acompanhada pelos produtores da ilha.

JSN falou na manhã de hoje com Américo Silva, um técnico da delegação local do MDR que se manifestou esperançado neste ano agrícola. O otimismo não é para menos, apesar do atraso do início das chuvas, a pluviosidade que ontem se fez sentir nas zonas altas do Vale da Fajã (na foto) é já um bom prenúncio de que as colheitas de milho e feijão podem, ao contrário do que aconteceu no ano passado, assinalar este ano uma boa produção, o que, para além de ser bom para os agricultores, vai-se refletir positivamente no preço final de venda ao  público.

“Em Fajã, nas zonas mais altas, certamente vai germinar alguma semente. A chuva de ontem, praticamente, deu-se principalmente nas terras altas do Vale de Fajã, em Cachaço e Lompelado, o que deve garantir a germinação de milho e feijões”, disse Américo Silva, adiantando que “nas zonas baixas, ainda não vai dar”. Uma situação que, entretanto, poderá ser alterada já que se espera a chegada das primeiras chuvas para finais deste mês. Previsão, aliás, compartilhada pelo Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INMG), que conjetura normalidade na pluviosidade para este ano.

2009 foi ótimo para produção de feijão

De qualquer modo, parece que, comparativamente ao ano passado, a situação desta época agrícola apresentar-se-á mais favorável, o que permitirá inverter a tendência de maus anos agrícolas que se vem registando após 2009, uma altura em que a ilha de São Nicolau foi fustigada por chuvas torrenciais.

“Em 2009 choveu muito, em termos de produção de milho não foi grande coisa porque a chuva destruiu o milho, mas em termos de feijões foi ótimo”, sublinha Américo Silva.  Uma coisa má pode sempre transformar-se numa coisa boa, a destruição de estradas e caminhos, a situação próxima da calamidade pública teve o reverso de trazer benefícios assinaláveis para a agricultura, permitindo criar grande reserva de águas que têm permitido fazer face aos anos secos que se seguiram.

“Ainda estamos a beneficiar daquela água”, acentua América Silva, dando como exemplo a galeria de Fajã. O técnico, homem muito experiente e dedicado às coisas da terra, reitera ainda que “este ano estamos muito esperançosos numa boa colheita”. Assim o esperamos.

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)