PRAIA D’TEDJA: Artistas sobem ao palco “dentro de momentos”…

. Publicado em São Nicolau

Dentro de cinco horas irão desfilar pelo palco do festival Talentos do Tarrafal, Mamadou Sulabanku, Cordas do Sol, DJ Hebraico Plus, Rary Silva, Rapaz 100 Juiz, Jay e Ferro Gaita. No palco já se ensaia e afina-se o som


 

Será um exagero dizer que é “dentro de momentos”, mas as cinco horas que nos separam do início do Festival de Praia d’Tedja são uma gota de água no culminar de um evento que levou muitos meses a preparar e que assinala este ano, talvez, uma das suas melhores edições. Nesse sentido, terá valido a pena o adiamento do evento por duas semanas, já que nestas coisas não pode haver amadorismos.

Em palco já desfilam os artistas da noite, ensaiando para o momento decisivo, afina-se o som e, no belíssimo areal de Praia d’Tedja, já se respira a festa e alegria, pressentindo-se ainda o cheiro das “bafas” que, madrugada dentro, irão aconchegar os palatos do público.

Às 22 horas “impreterivelmente”, segundo garante a organização, a edição do Festival de Praia d’Tedja arranca no areal levando ao palco, durante uma hora, os Talentos do Tarrafal. Kénio, Réven, Sandro, Tchon e Leroy Pinto vão cantar, tocar e encantar para o público. E às 23 horas é a vez do grupo Pedragal, de São Nicolau, que atua durante 50 minutos.

Mamadou Sulabanku

A grande surpresa da noite é Mamadou Sulabanku, até por razão de ser a primeira vez que atua no festival e em São Nicolau. Dez minutos após as zero horas de sexta-feira (e durante uma hora), Mamadou Bhour Guewel Sene sobe ao palco para apresentar o projeto Sulabanku, que fundou em 2002, no Mindelo com o performer/coreógrafo Tony Tavares, o escritor Joaquim Arena e o percussionista Osseynou, um projeto nascido da herança ancestral griot (da terra natal de Mamadou, o Senegal) e das influências mundanas da cosmopolita cidade do Mindelo (onde vive desde 2000), mas onde a Mazurca e o Afropop são também correntes de inspiração.

Cordas do Sol

No festival vai ser tempo também para revisitar as músicas que dão som ao fantástico "Cordas de Sol Live", o primeiro DVD do grupo de Santo Antão lançado em maio último. Temas como Linga d’Sentonton, Viva Kel Bolo, Sorron Rensode, Czemente de Riba Ribera ou Lume d’Lenha subirão, seguramente, ao palco de Praia d’Tedja.

Cordas do Sol, que sobre ao palco à 1h20 e atua durante 60minutos, é um grupo que surgiu em 1994 e introduziu uma nova estética de expressão na música popular cabo-verdiana, fazendo a fusão de géneros tradicionais como a Mazurka, Cola San Jon, Coladera e Morna.DJ

DJ Hebraico Plus

Com apenas 18 anos, DJ Hebraico Plus é um dos mais novos Djs deste país. Às 2h25 vai subir ao palco de Praia d’Tedja, para uma atuação de 25 minutos. Natural de São Nicolau, Danny Soares (o seu nome de baptismo) reside há alguns meses na cidade da Praia, correndo atrás do sonho que transporta desde a infância. A família, particularmente o pai, foram os responsáveis pelo seu encontro com a música, que começou aos 13 anos, tendo integrado uma banda durante um ano, onde tocava bateria. ‘Soul Foul House’ e ‘Afrobeat’ são os estilos de referência seguidos pelo jovem músico.

Rary Silva

Quando forem 2h55, o autor de "Nha Feeling" (o seu último álbum) vai subir ao palco para animar o areal de Praiad’Tedja, durante 40 minutos. Rary Silva não deixará de interpretar "By the way", que dá nome ao single promocional do último trabalho.

Apostando em sonoridades de Kizomba, Afrobeat, Afrohouse e Zouk Love, o artista é natural da Ribeira Brava, tendo nascido de uma família de músicos,e lançou o seu primeiro álbum em 2012 ("Start Up"), que deu origem ao single "Direcção d’Nha Vida", um êxito das playlist caboverdianas.

Rapaz 100 Juiz

Carlos Monteiro (CmC), Péricles da Costa (Pnc) e Nilton Lopes (Mittó) agitaram o universo musical caboverdiano quando, oito anos atrás, lançaram os Rapaz 100 Juiz, um grupo que tem como fio condutor a ironia e uma subversiva ousadia, bem expressa no álbum fundador, “Claridade”. Melhor grupo Rap/Hip-Hop – Reggae & RnB no Cabo Verde Music Awards 2011, foi neste ano que os Rapaz 100 Juiz iniciaram a sua primeira digressão europeia, com referências em reputadas revistas musicais da especialidade.

“Voz di Vozis” é o nome do segundo trabalho discográfico do grupo, a que se juntou o talento de nomes incontornáveis da música caboverdiana, como Grace Évora, Djodje, Dino d’Santiago, Johnny Ramos, o Grupo Coral da Uni-CV, Don Kikas, Hernâni Almeida, Djim Djob e Nelisson Rockus.

Jay

Com o tema “orgulho”, Jay internacionalizou o seu nome ao ser o tema oficial dos IX Jogos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), realizados em Angola. Um tema que, seguramente, irá subir ao palco pelas 4h35, numa interpretação de 50 minutos, em que o cantor, para além deste tema do single de suporte do seu último álbum (“Mi ku Bo”, de 2013), não deixará de fazer outras incursões tendo como fio condutor o seu estilo próprio, que mistura Rap, Jazz e Funaná num produto final de grande qualidade estética.

Ferro Gaita

Considerado um dos maiores grupos da música popular caboverdiana, os Ferro Gaita vão fazer vibrar o areal da emblemática praia do Tarrafal ao som quente do Funaná, sensivelmente pelas 5h35. Durante 90 minutos, os embaixadores do Funaná vão animar o público à luz dos primeiros raios de sol.

Os Ferro Gaita são um dos grupos mais conhecidos no estrangeiro e uma amostra viva do que de bom se faz neste arquipélago. No palco de Praia d’Tedja irão desfilar, certamente, temas recorrentes dos ábuns Fundu Baxu, Rei di Tabanka e Rei di Funaná.

Para sexta-feira – o último dia do festival - é a vez, a voz e a arte de Batucada Copa Cabana, Naiss d’ Socol e Nhelas Spencer, Oliveira e Amigos, El Cosme, Puto Máquina, T- Cla-2, Johnny Ramos, & Banda e Nish Wadada.

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)