TARRAFAL: Praça dos Pescadores vai ter novo rosto

. Publicado em São Nicolau

A sala de visitas dos homens do mar vai estar pronta dentro de trinta dias. Bancos, mesas e uma cobertura, para além de uma zona verde vão dar outra dignidade ao espaço. Mas a requalificação das marginais de Compedrada e Praia d’Tedja vão ser as próximas requalificações, mudando também o rosto à cidade


 

José Freitas de Brito procedeu, no final da manhã desta terça-feira, ao lançamento oficial da requalificação da Praça dos Pescadores (na foto), uma autêntica “sala de visitas” dos homens do mar no Tarrafal

A requalificação desta pequena praça, emblemática da cidade, vai estar pronta em trinta dias, está orçada em pouco mais de mil contos (1.143.000$00) e é de administração direta da câmara municipal, cujo Gabinete Técnico produziu o projeto e administra a obra. A nova praça vai ter como equipamentos bancos, mesas e uma cobertura, para além de uma zona verde.

“De manhã, bem cedo, encontramos os pescadores nesta praça, que é uma autêntica sala de visitas, mas também ao final do dia. É aqui que os pescadores se reúnem para saber se vão à faina”, disse ao JSN o edil do Tarrafal, assegurando tratar-se de um antigo desejo dos homens do mar.

José Freitas de Brito refere ainda que “desde a altura da campanha que a requalificação estava no nosso horizonte, constava no programa eleitoral e foi uma reivindicação dos pescadores que quisemos assumir como compromisso”.

Mais obras a caminho

Mas para a zona de Compedrada, está também prevista outra requalificação, desta feita de grande vulto, nomeadamente, a marginal e a recuperação do velho cais que, durante muitos anos, serviu a maior unidade industrial da ilha: a SUCLA, uma fábrica de conservas de peixe.

“Vamos realizar essa obra durante este mandato, mas ainda não temos uma data exata”, disse-nos o presidente da autarquia. No que respeita ao velho cais, onde pontifica uma peça importante da arqueologia indústria, um guindaste para carga e descarga das embarcações, tudo vai ser requalificado de acordo com a sua configuração inicial, pelo que a câmara estabeleceu um protocolo com uma instituição universitária de São Vicente, o Instituto Universitário de Arte, Tecnologia e Cultura (M_EIA), que é também responsável pelo acompanhamento científico do futuro Museu da Pesca.

“O M_EIA, do doutor Leão Lopes, vai apresentar uma proposta de requalificação”, diz o edil, adiantando que “esta requalificação vai ser feita por fases, estamos até a pensar em fazer um estudo económico para sabermos se os quiosques comerciais ali a instalar podem gerar retorno considerável que nos permita fazer alguma ‘engenharia financeira e, eventualmente, recorrer à banca” para financiamento da obra.

Porém, antes da requalificação da marginal de Compedrada, a prioridade é a obra de Praia d’Tedja, cujo projeto já existe e só não avança de imediato para não criar dificuldades à realização do conhecido festival que ali se realiza todos os anos. “Vamos deixar passar o período do verão e avançar com as obras, o projeto está pronto e precisamos só de fazer alguns acertos finais, principalmente no que respeita ao piso”, em cimento, que poderá ser instalado decorrente de uma parceria com uma autarquia portuguesa. 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)