NELSON BRITO: atraso na eletrificação de São Nicolau é inconcebível

Escrito por Editor JSN . Publicado em Grande Entrevista

Deputado da Nação congratula-se com o projeto de eletrificação da ilha de São Nicolau e lamenta apenas que tenha sido necessário um atraso de cerca de 15 anos para em vésperas de eleições se vir inaugurar a rede elétrica

 



A eletrificação é tema desta parte da entrevista com Nelson Brito, coordenador do MpD no Tarrafal e deputado pela ilha de São Nicolau. Há questões que o nosso interlocutor diz estranhar, nomeadamente, o edil da Ribeira Brava a inaugurar obras que são do governo numa alegada tentativa de “manipular” a opinião pública.

O nosso entrevistado aguarda que Ribeira Prata e Fragata também tenham oportunidade de aceder a energia, tal como as restantes zonas de Ribeira Brava que acabam de ser eletrificadas. Nelson Brito diz mesmo apoiar “100 por cento” este projeto

 


JSN - No município do Tarrafal, Ribeira Prata e Fragata ainda vivem sem energia elétrica, enquanto Ribeira Brava está completamente eletrificada. Como vê esta situação numa ilha que vem reclamando da ausência deste bem essencial nos dias que correm?


Nelson Brito – Nós temos trabalhado muito para a eletrificação de São Nicolau. Enquanto deputado tenho batalhado para que a eletrificação chegue a toda a ilha e a todas as zonas.
Neste sentido, é com satisfação que assistimos à chegada de energia a Juncalinho, a Morre Brás e Carriçal, ficamos satisfeitos com isso, mas queremos dizer que o processo de eletrificação de São Nicolau deveria estar concluída em 2001, era um plano nacional e aqui na ilha o plano ia muito bem, a eletrificação expandiu-se para as outras localidades, assim como as telecomunicações e outros serviços inexistentes na altura, em outras zonas da ilha e do país. Mas com a saída do MpD do governo, o processo foi brutalmente interrompido, foi cancelado e agora que estamos em vésperas de eleições vimos que a eletrificação está a ser concluída. Às pressas porque por exemplo em Juncalinho ainda o projeto não está totalmente concluído. Há, ainda, várias valas abertas, dívidas por pagar, sobretudo a pessoas que trabalharam na obra e que até ainda não recebem o seu dinheiro. Mas o importante, no entanto, é que Juncalinho, Carriçal e Morre Brás já têm energia 24 horas/dia que é o que desejamos e o que queremos.
Esperemos e aguardamos que Ribeira Prata e Fragata no município do Tarrafal também venham a ter energia elétrica e em condições, como as outras zonas da ilha e do país. Apesar deste atraso, de 2001 a esta data, um atraso de cerca de 15 anos, o que de fato é uma situação inaceitável, o importante é que chegue.
É preciso ter em atenção o preço da energia, porque muitas pessoas queixam-se do que consideram preço elevado do custo de energia na ilha e no país de uma forma geral. Há também a questão da iluminação pública, as pessoas pagam a iluminação pública e nem sempre têm luz na rua, o que acaba por ser uma situação injusta, portanto o governo através da Electra está a abusar das pessoas.
Apoiamos 100 por cento este projeto de eletrificação, lamentamos o atraso inconcebível a nosso ver mas esperemos que Ribeira Prata e Fragata possam beneficiar também, mas sabemos que o governo tem estado a esconder informações sobre isso e estamos preocupados com esta situação.

 


Acha que a Electra e o governo tentaram beneficiar o próprio PAICV e seu candidato nas legislativas quando convidaram o edil Américo Nascimento para inaugurar projetos que são do governo?

Absolutamente e não há dúvidas quanto a isso. O governo atrasou a eletrificação da ilha em na,os só para beneficiar o PAICV na campanha, o que é um absurdo. Só ultimamente inauguraram eletricidade em Morre Brás, Carriçal e Juncalinho, porque é altura de campanha e isso é grave. É atrasar a condição de vida das pessoas por causa de interesses partidários. E pior do que isso, temos o presidente da câmara da Ribeira Brava que não tem nenhuma competência na questão da energia a inaugurar estes projetos. A Electra não é uma estrutura do governo e é um presidente de câmara que vai inaugurar obras do governo.

 


Podemos falar que houve uma tentativa de enganar/confundir as pessoas quando o autarca surge na pele de governante nacional?


Manipulação sem dúvidas nenhuma, e o PAICV é muito bom nisso. A manipulação das pessoas para que elas pensarem que é o PAICV a fazer-lhes algum favor. Houve as inaugurações e não houve nenhum membro do governo.
Queremos saber é se ocorrer algum problema se é o Américo Nascimento a ir resolver, se é o governo ou se será a Electra.
É claro que isso não é competência da câmara e isso é muito claro. Há competências, há leis e atribuições que são das câmaras municipais.
Já agora gostaria de saber como será na Ribeira Prata e Fragata, se vão chamar o presidente da câmara do Tarrafal para inaugurar, se o governo vem, se a Electra vai estar presente ou se vão indicar o Américo Nascimento para inaugurar.

 


AC

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)